Economia

McDonald’s na China pede desculpas por proibir negros de entrar no restaurante

2views

McDonald’s de Nova York (CNN Business) está no modo de controle de danos, depois que um restaurante na China exibiu uma placa proibindo os negros das instalações.

A placa, que circulou recentemente nas mídias sociais, disse que a localização do McDonald’s em Guangzhou “foi informada de que a partir de agora os negros não poderão entrar no restaurante”.

O sinal “não representa nossos valores inclusivos”, afirmou o McDonald’s em comunicado. A placa foi removida e o local foi temporariamente fechado. A CNN ainda não conseguiu autenticar o vídeo.

A cidade industrial está mergulhada em tensões raciais entre africanos e locais. Alertas recentes de autoridades chinesas sobre o crescente número de casos de coronavírus importados alimentaram sentimentos anti-estrangeiros. Os africanos na cidade do sul da China foram despejados de suas casas pelos proprietários e afastados dos hotéis, apesar de muitos alegarem não ter histórico de viagens recente ou contato conhecido com pacientes do Covid-19.

O McDonald’s (MCD) disse que usará o fechamento para “educar ainda mais os gerentes e funcionários sobre nossos valores, o que inclui servir a todos os membros das comunidades em que operamos”.

Guangzhou há muito tempo tem a maior comunidade africana na China. Como muitos africanos da cidade têm vistos de negócios de curto prazo, viajam para a China várias vezes ao ano, dificultando o cálculo do tamanho da população africana da cidade. Mas em 2017, aproximadamente 320.000 africanos entraram ou saíram da China através de Guangzhou, segundo a Xinhua.

Esta não é a primeira vez que o McDonald’s gera polêmica no exterior. Em novembro passado, publicou em Portugal um anúncio que usava as palavras “Sundae Bloody Sundae” para promover uma sobremesa de Halloween. Domingo Sangrento é o nome do dia em 1972 em que soldados britânicos dispararam contra manifestantes desarmados em Derry, Irlanda do Norte, durante os Problemas – resultando em 14 mortes.

O coronavírus prejudicou os negócios do McDonald’s este ano. Na semana passada, informou que as vendas nos restaurantes abertos pelo menos um ano caíram mais de 22% em março, lideradas por um declínio de quase 35% em seus mercados operados internacionalmente.

Fonte